domingo, 28 de setembro de 2008

Notícia insólita

"Um homem que não existe
É um caso, no mínimo, insólito. Nas Quintas de Valprados, próximo de Bragança vive um homem de 81 anos que “não existe”. Benjamin Manuel Fidalgo nasceu em Portugal e não tem Bilhete de Identidade, nem nenhum documento que o identifique. Só tem cartão de eleitor e da Caixa de Providência. O homem mostra-se desesperado porque já há quase uma década que está a tentar tirar o Bilhete de Identidade e não consegue. "
.
RBA, Bragança

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Perspectiva




Olho a sebe dos versos que plantei
Ao longo do caminho dos meus dias:
Tristezas e alegrias,
Enlaçadas
Como irmãs vegetais.
Silvas e alecrim...
O pior e o melhor que havia em mim
Num abraço de arbustos fraternais.
Nada quero mudar dessa harmonia
De agruras e doçuras misturadas.
Pasmo é de ver a estranha maravilha.
Poeta que partilha
O coração magoado
Por presentes e opostas emoções
Contemplo, deslumbrado,
O arenque de vivências do passado,
Longo poema sem contradições.

- Miguel Torga

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Transmontanices


"Um sonho em jeito de barco

Numa pedra em mim

E o silêncio interrompido de uma aurora

O cheiro a urze e a alecrim."

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Ruinas


Se é sempre Outono o rir das Primaveras,
Castelos, um a um, deixa-os cair...
Que a vida é um constante derruir
De palácios do Reino das Quimeras!

E deixa sobre as ruínas crescer heras,
Deixa-as beijar as pedras e florir!
Que a vida é um contínuo destruir
De palácios do Reino das Quimeras!

Deixa tombar meus rútilos castelos!
Tenho ainda mais sonhos para erguê-los
Mais alto do que as águias pelo ar!

Sonhos que tombam! Derrocada louca!
São como os beijos duma linda boca!
Sonhos!... Deixa-os tombar... Deixa-os tombar.

Florbela Espanca

Ai quem me dera(música)

domingo, 21 de setembro de 2008

Quem me dera


Quem me dera
Quem me dera que a minha vida fosse um carro de bois
Que vem a chiar, manhãzinha cedo, pela estrada,
E que para de onde veio volta depois
Quase à noitinha pela mesma estrada.

Eu não tinha que ter esperanças — tinha só que ter rodas...
A minha velhice não tinha rugas nem cabelo branco...
Quando eu já não servia, tiravam-me as rodas
E eu ficava virado e partido no fundo de um barranco.

(O Guardador de Rebanhos - XVI)

sábado, 20 de setembro de 2008

Uma foto

Casa de babe desabitada...dessa trepadeira eu não consegui fazer pegar junto da minha casita de lá...nem a trapadeira quis ser repartida apesar do dono ter dado de boa vontade!

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

A Terra---MIGUEL TORGA


A Terra

Também eu quero abrir-te e semear
Um grão de poesia no teu seio!
Anda tudo a lavrar,
Tudo a enterrar centeio,
E são horas de eu pôr a germinar
A semente dos versos que granjeio.

Na seara madura de amanhã
Sem fronteiras nem dono,
Há de existir a praga da milhã,
A volúpia do sono
Da papoula vermelha e temporã,
E o alegre abandono
De uma cigarra vã.

Mas das asas que agite,
O poema que cante
Será graça e limite
Do pendão que levante
A fé que a tua força ressuscite!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

O CHEIRO DOS DIAS





Os nossos dias são de cheiro,
que é mesmo de admirar

Há dias que cheiram a limoeiro,
o que é de espantar

Outro dias cheira a Pinheiro,
esses são mais de aceitar

Outros dias de Dinheiro,
nesses ninguém vai acreditar

E de outros dias de cheiros, podemos falar
onde alguns agradáveis são, ou não

Mas os dias de cheiros que mais gostas,
são os que dizem mais do coração

Porque os dias de cheiros ao amor,
esses, dias não tem

Eles, os dias de cheiros até podiam ter cor,
e algum sabores também

Mas os dias que cheiram aos teus lábios,
os meus eles adoçam

Aqueles dias de cheiros dos beijos muito sábios,
nos meus eles roçam

Ainda há os dias de cheiros a natureza,
que até trazem muitas cores

Eles, os dias de cheiros vem com toda a beleza,
cheirar teus lábios de sabores

Assim os dias, em tudo tem cheiro,
e nós muitos amores

Os cheiros dos dias não são feios,
nem nossos lábios tem pudores

Sempre nos dias que tem cheiros,
brotam todos seus odores

Os dias tem muitos cheiros?
Tem sim senhor

de: fernando ramos

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Uvas

SETEMBRO

"Em Setembro
eu vou
pelos caminhos
com árvores plantadas
no ouro da tarde

na espada do vento
julgo ouvir um canto
de pássaro escondido
nas franjas fulvas do dia

lembro o teu olhar onde a luz se aquece
sinto-lhe a ternura a nudez o gume
como um perfume
vertido
que não se perde

sob os alámos
eu quero estar contigo
de mãos dadas

nada me protege
desta saudade
nenhum pensamento
me suspende a lágrima

Setembro
ao cair da tarde."

domingo, 14 de setembro de 2008

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Adivinhas populares



Sou mulher vistosa e até
uso roupa transparente,
exibo barba no pé
e comovo muita gente.
O que é?



Sem ser gente, ela é da gente.
Pouco, a gente faz sem ela,
Mas, se aberta é contundente,
Fechada, livrem-nos dela.
O que é?



Quando o bicho a fabrica,
Merece todo o louvor.
Se o homem a faz, vem a crítica:
Não é bom trabalhador.
O que é?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

AMIZADE


"É sentir o carinho
É ouvir o chamado.
É saber o momento
de ficar calado.
Amizade é somar
alegrias dividir tristeza.
É respeitar o espaço
silenciar o segredo.
Éa certeza
da mão estentida.
A cumplicidade que
não se explica..."

EU GOSTO DE ALDEIAS SOSSEGADAS

"Eu gosto das aldeias sossegadas,
com o seu aspecto calmo e pastoril,
erguidas nas colinas azuladas,
mais frescas que as manhãs finas de Abril.
 
Pelas tardes das eiras, como eu gosto
de sentir a sua vida activa e sã!
Vê-las na luz dolente do sol-posto,
e nas suaves tintas da manhã!...
 
As crianças do campo, ao amoroso
calor do dia, folgam seminuas,
e exala-se um sabor misterioso
de agreste solidão das suas ruas.
 
Alegram as paisagens as crianças
mais cheias de murmúrios do que um ninho:
e elevam-nos às coisas simples, mansas,
ao fundo, as brancas velas dum moinho.
 
Pelas noites de Estio, ouvem-se os ralos
zunirem nas suas notas sibilantes...
E mistura-se o uivar dos cães distantes
com o cântico metálico dos galos."


terça-feira, 9 de setembro de 2008

"ESTOU OUTONO!"..mas eu prefiro Primavera e Verão

"Que me venha o outono:
com suas folhas soltas,
dançando ao vento...
caindo suaves,
fertilizando o solo,
criando idéias,
no meu pensamento.
Que venha esse outono:
de brisa gelada,
folhas amarelecidas,
e avermelhadas.
Pores-dos-sóis lindos,
natureza calada.
Que me venha o outono:
de noites vivas
e estrelas brilhantes.
De lua inspiradora,
que encanta os poetas
e tambémos amantes.
Que me venha esse outono:
Tapete de folhas
enfeitando o chão.
Pensamento sereno,
enchendo de calma...
o meu coração."
.
D.A

sábado, 6 de setembro de 2008

MEL babense

Mel Serrano pelo nome
Do apicultor em questão
Com mel "explorado" em Babe
Melhor não se encontra, não!

Está bom o deste ano, Domingos, "bem doce como o mel" Beijos carinhosos para ti e família.

Mais ruralidade

Vegetação espontânea
Grão de bico já seco

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Dois trintões, charmosos e solteiros.



Bjs para vós.
MTFernandes

Plantas do monte, de jardim ou de interior

Cactos e...
Mais "escovas"

Malmequer ou margarida silvestre?


Trevo de 4 folhas

Manjerico

Não te metas na minha vida "Estevas e escovas" Alfazema
.
Babe, Agosto 2008
.
MTFernandes

Jovens de Babe( Apenas dois aqui...)...há muitos



MTFernandes

Poema:Meninas



Arabela
Abria a janela.

Carolina
Erguia a cortina.

E Maria
Olhava e sorria:
“Bom dia!”

Arabela
Foi sempre a mais bela.

Carolina,
A mais sabia menina.

E Maria
Apenas sorria:
“Bom dia!”

Pensaremos em cada menina
Que vivia naquela janela;
Uma se chamava Arabela,
Outra que se chamou Carolina.

Mas a nossa profunda saudade
E’ Maria, Maria, Maria
Que dizia com voz de amizade:
“Bom dia!”

Cecília Meireles

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Ainda fotos em Babe de Agosto 2008

Baloiçando
A ler Cardos e Quimeras


A regar relva e plantas
Que faria a Helena?
Entrevita par a equipa da TVI
Depois de limparem e enfeitarem a Igreja para um casamento do dia seguinte
A fazer churrasco

A preparar as couves para plantar
.
MTFernandes