quinta-feira, 24 de julho de 2008

Um filho da terra escreveu....!

Os melros acasalam e os tordos queremos imitar
Há ninhos e ovos frescos nos silveiros
E espreitamos as fêmeas a chocar.
Passamos pela sebe entrelaçada, ainda o sol aquece.
De mão dada com a tarde caminhamos:
O sol cederá lugar no trono, breve, à irmã lua.
Olhamos intensamente e sorvemos, livres, o derradeiro sol
E o prateado luar nascente.Foi para isso que os deuses nos fizeram.
Nesse tempo,
Da guerra não conhecíamos, ainda, o horror,
Nem dos massacres em parte incerta.
Sabíamos apenas dos melros, dos tordos, dos ninhos
E ovos
Essa paz, queríamos imitar.


De: Jorge Marrao

3 comentários:

Tere disse...

Parabéns Jorge e um abraço extensivo a todos, para a Zira tb que postei o teu lindo texto.

Tere disse...

Postou e nao "postei"

Átila disse...

Bôo , jorge esta´s cá um poeta !!! Continua